Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

...

30.04.15 | Vera Dias Pinheiro



Quem já ouviu falar? E quem já foi? 
Termina já no próximo domingo esta edição do Hospital da Bonecada, que se realiza no Centro Comercial Colombo e que conta com o patrocínio das marcas HALIBUT Derma Care e da Oleoban. Esta iniciativa tem por objectivo ajudar as crianças, entre os 3 e os 10, a perder o medo da "bata branca" e a familiarizá-las com tudo o que diz respeito aos hospitais. Para isso, cada criança deve levar o seu boneco para que, naquele "hospital modelo", seja tratado. Neste jogo do "faz de conta", a criança é levada a conhecer todos os elementos que fazem parte de um hospital de verdade e a familiarizar-se com o que lá é feito.
Outra boa noticia deste evento (e agora mais para os pais) é que podemos aproveitar e levar brinquedos ou roupas dos nossos filhos que estejam a mais lá em casa para que sejam doados a crianças mais carenciadas.
Talvez consiga levar o Vicente a visitar este Hospital, pois a avaliar fascínio que ele tem pela sua maleta de médico da Imaginarium, acho que ele ia adorar.

Podem ver mais detalhes (e algumas fotos) deste evento aqui e aqui.

Novidades fresquinhas...

29.04.15 | Vera Dias Pinheiro
... e boas! 
A partir de agora, As viagens dos Vs vai poder contar com o (precioso) contributo de uma psicóloga, a Dra. Ana Guilhas, que me/nos ajudar a tentar perceber algumas situações que nós, pais, atravessamos nesta viagem (em contínua aprendizagem e de adaptação) que é a maternidade. O que me levou até aqui foi perceber, um dia, que o meu bébe, aquele ser pacífico, sempre bem disposto, que não refilava com nada, comia e dormia bem, já não existia. Hoje tenho um "adolescente" com dois anos que diz NÃO a tudo, que está cheio de vontades próprias, que quer fazer tudo sozinho e... é muito, mas muito teimoso. Não perder a calma e a serenidade, por vezes, torna-se muito complicado.



A Dra. Ana Guilhas é licenciada em Psicologia Clínica, pelo ISPA, e Mestre em Ciências da Educação, pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Entre outras áreas, afirma que a sua paixão está, profissionalmente, na parentalidade. 




Posto isto, quero-vos dizer que todas as dúvidas, perguntas, etc... são muito bem-vindas! Podem deixar nos comentários aqui no blog ou, se preferirem, através de mensagem privada aqui. Prometo fazer o devido encaminhamento. Entretanto, eu já tenho a minha lista preparada para dar o arranque a esta rubrica de perguntas e repostas sobre parentalidade. 



Crianças | As sugestões de leituras dos Vs #1

29.04.15 | Vera Dias Pinheiro
Há quem defenda que a leitura deve estar no mesmo patamar das preocupações que os pais têm com as necessidades básicas dos seus bebés, nomeadamente a alimentação. Também dizem que não há uma idade especifica para começar, mas todos são peremptórios em que deve ser o mais cedo possível. 
Vários especialistas são unâmines no papel da leitura como facilitadora e impulsionadora do processo de compreensão das palavras. O cérebro das crianças fica mais autómono, são capazes de reflectir sobre novas palavras mais rapidamente e são mais criativas. Alguns investigadores vão mais longe ainda ao afirmar que ler uma história antes de adormecer é fundamental para o sucesso escolar e, até mesmo, profissional. E que as crianças que melhor processam o que lhes é dito aos dois anos, são as que apresentam um melhor desempenho escolar aos oito.
Porém, há igualmente um outro aspecto muito relevante: os minutos que os pais passam a ler uma história são um contributo fundamental para o fortalecimento da relação da criança com os seus pais e vice-versa. São minutos onde nada mais interfere na comunicação entre eles, a televisão, os telemóveis, nada! As crianças precisam de um ambiente seguro e sólido, de uma relação próxima, onde não falte a confiança, o respeito e a compreensão. A leitura pode ser muito importante nesse processo.



Cá por casa, não foi preciso ler muito sobre o assunto para que, tanto eu como o senhor meu marido, estivéssemos de acordo que o gosto pelos livros tinha que ser cultivado, junto do Vicente, desde cedo. E assim foi, respeitando os seus ritmos, escolhendo as histórias que se adequassem à sua idade, e, hoje em dia, respeitando os seus gostos, pois é rara a vez que não é o Vicente a escolher as historias que quer ouvir antes de dormir. 
Claro que o facto de ser ele a escolher as histórias leva a que, eu ou senhor meu marido, acabemos a ler 5, 6, 8 vezes.... a mesma história. Mas também faz com que agora seja ele a contar-nos as histórias. Também é claro que antes só líamos uma história e que hoje tem que haver toda uma negociação para que não se passem os 5 livros. E também é claro que (mas isto nós não admitimos em frente do Vicente) já ganhamos pequenos ódios de estimação, histórias fofinhas que antes adorávamos e que agora já não podemos ver a frente. 
Todavia, não tenho dúvidas que este tempo, em que estamos os três juntos, é o melhor do dia do Vicente, do pai (que chega muito tarde a casa) e do meu.

Deixo aqui o  TOP 5 dos livros mais amados e lidos cá por casa:
1. "Quem dá um abraço ao Martim?", David Melling, editora Minutos de Leitura;
2. "Quem quer ser amigo do Martim?", David Melling, editora Minutos de Leitura
3. "Quem vem à festa do Martim?", David Melling, editora Minutos de Leitura
4. "Leonardo, o monstro terrível", Mo Willems, editora Orfeu Mini;
5. "Boa noite, Mocho!", Pat Hutchins, editora Kalandraka



Mas uma boa história precisa de quê, afinal?

.... de vontade!!! Isto é tudo o que precisamos para um boa leitura com os nossos filhos. Uns vão gostar de interpretar mais, outros nem tanto. No entanto, a verdade é que o simples facto de querermos ler uma história é o mais importante.
Mas se quiserem melhorar a técnica, fazendo desse momento algo ainda mais especial, vejam estas cinco dicas deixadas por uma especialista na matéria, a Martha Teixeira da Cunha.



1º passo Escolha uma história adequada para a idade e para a situação que a criança está vivendo. Quando mais elementos da história ela puder reconhecer, melhor será o interesse;
2º passoAntes de ler o livro ao seu filho, faça-o primeiro para você, para que as partes  impactantes fiquem bem gravadas e você consiga deixá-las ainda mais emocionantes. Se  vai tirar a história da cachola e não de um livro, faça o mesmo, contando para você antes de contá-la ao seu filho; 
3º passo Uma narrativa leva ao mundo da imaginação e do sonho, então, nada melhor do que criar um clima antes de começar a leitura. Prepare um espaço para a história, vale um cantinho especial no quarto, a luz mais baixa, almofadas no chão...
4º passo Dar ritmo à narrativa é um dos mais importantes, afinal, história que é boa mesmo precisa ter ritmo. Se o herói está mais pensativo, fale mais pausadamente e com tom de voz mais baixo. Se ele estiver em um momento mais intenso, uma fala firme e apressada combina bem e vai prender a atenção do seu filho; 
5º passo Dê um bom fechamento à história. Por isso, “amanhã eu continuo” vai deixar a criança pequena ansiosa. Leia até o fim. E lembre-se de que o seu filho precisa sonhar e, por isso, quanto mais mágico for o final, mais realizado ele ficará. E tem jeito melhor de embalar o sono?



Boas leituras!!!


Weekend series #1

28.04.15 | Vera Dias Pinheiro
Estamos a chegar quase a meio da semana, o fim-de-semana que passou, com tanta chuva, não deu para grandes aventuras e brincadeiras fora de casa. Mas ainda assim, gostava de partilhar com vocês a nossa ida à Assembleia da República, no dia 25 de Abril. Em dia de comemoração dos 41 anos da nossa liberdade, S. Bento abriu portas a todos os cidadãos e mais, abriu portas às famílias com algumas actividades para os mais pequenos.
Com o senhor meu marido a trabalhar, resolvi levar o Vicente a visitá-lo e foi o programa perfeito para para um dia tão cinzento.




Sala dos Passos Perdidos


Salão Nobre

Sala da Comissão de Inquérito ao BES 

Por um dia (e em liberdade), todos puderam visitar, por dentro, o local onde se tomam as grandes decisões, puderam sentar-se nas cadeiras onde os senhores deputados se sentam, puderam até ser presidentes da Comissão de Inquérito ao BES por instantes e falar ao microfone. Em todos os locais (que faziam parte do itinerário da visita), estavam alguns funcionários do Parlamento disponíveis para satisfazer todas as curiosidades e para responder a todas as perguntas. Eu vi muitas pessoas por ali e vi, sobretudo, muitas crianças curiosas. Espero que seja um sinal de esperança para um futuro mais promissor.

Reciclar!!!!

24.04.15 | Vera Dias Pinheiro


Reciclar!!! Reciclar!!! Reciclar!!! Esta é a palavra que se impõe nos dias de hoje.
Depois de uma mudança de país, depois de duas grandes mudanças de casa, percebi a quantidade de coisas "não" necessárias que tínhamos e, consequentemente, a grande falta de espaço para guardar tudo e, ao mesmo tempo, manter uma certa ordem e organização. Foi então que, num pico de irritação, no meio de dezenas de caixotes, malas, sacos e outras coisas do género, que gritei que a partir daquele momento por cada coisa nova que entrasse em casa, uma (ou duas) teriam que sair. Porque, para agravar a situação, aquela história do "tenho tanta roupa e nada para vestir" é mesmo verdade. O consumismo sem rei nem roque tinha que acabar.
No entanto, dispensar o que temos a mais, por vezes, coloca-nos um problema: o que fazer com a roupa que já não vestimos. Algumas delas acabam por ter pouco uso (logo, estão novas), mas outras acabam por estar já mais degradadas (e não vão servir para mais ninguém). 



Pois bem, desde a algum tempo para cá que,  a marca sueca H&M permite-nos trocar o velho pelo novo.
Passo a explicar: a H&M, desde fevereiro, que lançou uma campanha global de reciclagem de roupa. Esta iniciativa tem por objectivo "fechar o ciclo têxtil" e fazer com que cada vez menos roupa vá parar aos aterros sanitários. Aqui não interessa o estado ou a marca das peças. E podem-se entregar até dois sacos por dia. Em troca recebemos um vale de 5 euros, por cada saco, que podemos descontar na próxima compra, de valor igual ou superior a 30 euros.
Paralelamente, a I:Co (I:Colect), parceira da H&M nesta acção, oferece 0,2 cêntimos por casa quilo de roupa recolhido, a uma instituição de solidariedade do respectivo país.
Todas as peças são enviadas para a Suíça, onde são recicladas, reutilizadas ou vendidas. De acordo com a marca sueca, cerca de 95% do vestuário deitado fora pode ser reciclado e, muitos dos têxteis são transformados em novas roupas, em panos de limpeza ou têxteis para a indústria automóvel.
A mim esta campanha parece-me bastante interessante e já tenho ali os meus dois sacos preparados para ir entregar hoje numa loja H&M.



Um video fofinho para assinalar o dia da Mãe que se aproxima

22.04.15 | Vera Dias Pinheiro



Este video faz parte da nova campanha de publicidade da marca de jóias Pandora. O intuito é mostrar como a ligação entre mãe e filho é "única" e "especial". 
A marca pediu a seis crianças (com idades entre os três e os nove anos) que, de olhos vendados e uma à uma, identificassem as suas mães. Todas acertaram.
Se nos "bastidores" isto foi mesmo assim, nunca saberemos. Da mesma maneira que, nunca saberemos se estas seis mulheres são efectivamente as progenitoras destas crianças. 
Eu quero acreditar que sim, que os nossos filhos são capazes de nos reconhecer mesmo de olhos fechados. De qualquer forma e para tirar quaisquer dúvidas, um dia destes faço o testo com o Vicentinho! :)





Um grande viva à rainha de Espanha

21.04.15 | Vera Dias Pinheiro

And she did it!!!!.... A rainha Letizia, de Espanha, já tinha "ameaçado" fazer um corte de cabelo deste género quando, há algum tempo atrás, usou num evento um apanhado que simulava um corte ao estilo bob curto*. Talvez fosse um teste para avaliar as reacções das pessoas. Porém, a verdade é que, independentemente de qualquer opinião, ela cortou mesmo. Enquanto princesa, Letizia sempre nos habituou a uma imagem moderna e pouco convencional para aquilo que supostamente se espera de um membro de uma família real. E agora, enquanto rainha, a sua postura não se alterou. 
Bravo Letizia! A-D-O-R-E-I!!! É arrojado, elegante e só prova que uma mulher também pode ficar sexy de cabelo curto. 

*E para quem não sabe, eu ajudo a perceber o que um bob (ou então, se preferirem,  um corte carré):
É um corte recto ou assimétrico, com ou sem franja, lido ou ondulado. É um clássico e um intemporal no que respeita os cortes de cabelo e aquilo que são as tendências. Além disso, um bob confere elegância e versatilidade, capazes de favorecer qualquer tipo de rosto e cabelo.

E, já agora, aproveito para relembrar outros bobs com estilo: 












Pág. 1/3