Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

Vida Saudável | A melhor granola é esta

29.03.15 | Vera Dias Pinheiro
Tenho que partilhar com vocês a receita da granola que hoje por aqui se fez, porque ficou simplemente DELICIOSA!!!




Ingredientes:
1 cháv. e 1/2  de Flocos de arroz intregal
1/2 cháv. de Lascas de côco
1/3 cháv. com sementes de linhaça e de sementes de sésamo
1 colher de sopa de sementes de chia
1/2 cháv. de frutos secos (partidos grosseiramente)
1/2 cháv. de xarope de agáve/ mel
 2 colheres de sopa de óleo de côco
1 colher de sopa de aroma de baunilha
canela a gosto

Preparação:
- Pré-aquecer o forno a 150º e forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal ou alumínio.
- Numa tigela grande, misture os flocos de arroz, os frutos secos, as sementes e as lascas de côco.
- Coloque o xarope de agave/ mel, o óleo de côco e o aroma de baunilha numa panela pequena e aqueça em lume brando até derreter o óleo de côco e ficar tudo misturado.
- De seguida, retire do lume e deite sobre a mistura inicial, acrescente a canela, e envolva com uma colher grande até ficar tudo húmido e bem envolvido.
- Espalhe uniformemente, numa só camada, sobre o tabuleiro. Leve ao forno por 10 minutos, mexa e volte a deixar por forno por mais 10 minutos.
- Por fim, guarde num frasco bem fechado!!!


Bom Apetite :)

...

29.03.15 | Vera Dias Pinheiro
Sobre o Mercadito da Carlota, que se realizou este fim de semana, tenho duas coisas a dizer. A primeira, que o espaço está muito bem escolhido e, contra tudo o que ouvi dizer sobre edição passada, hoje quando lá estive não haviam pessoas a mais e era perfeitamente possível chegar às bancas de todas as marcas lá presentes, sem atropelamentos ou encontrões. A segunda, é que no que respeita a maior parte das marcas de crianças, as diferenças de estilo não são muitas. Na minha modesta opinião, ou tens filhos mais pequenos ou irmãos/irmãs  que gostas de vestir a fazer pandam ou, ainda, filhas meninas, se assim for ainda dá para perder ou não a cabeça. No entanto, como eu não me integro em nenhuma das categorias enunciadas, não houve grandes motivos para loucuras.
E agora perguntam-me vocês, porque foi eu ao Mercadito? Porque gosto de ver ao vivo as marcas que conheço apenas através do Facebook ou do Instragram (as compras há distância nunca foram o meu forte, tenho receio por causo dos tamanhos, que nunca são sempre iguais, e porque ao vivo as coisas podem ser diferentes do que quando vistas nas fotografias). Gostei de ir também porque adoro o espaço da carris e a forma como eles deixam que seja explorado o seu potencial para eventos e, por último, porque não precisei de pegar no carro para lá chegar, nem tão pouco me preocupar com o estacionamento.

Ainda assim, fiquei muito contente com o resultado das minhas compras:

Print amoroso da Violeta Cor de Rosa 


Cotton Ball Lights da Rosa com Canela


Roupas de Primavera da Zippy



[weekend lovers]

09.03.15 | Vera Dias Pinheiro
Foi o primeiro fim-de-semana de bom tempo. Vi muitas fotografias de praias e esplanadas durante estes dias, eu própria tinha planos de ir até à praia. Porém, às vezes, também sabe bem (e é preciso) descansar, abrandar o ritmo da correria da semana que, muitas vezes, transportamos para o fim-de-semana, "para não deixar nada por fazer". A avó veio visitar-nos e sempre que assim é, eu e o senhor marido aproveitamos para dormir mais e descansar mais. O Vicente já começa dormir muito melhor (parece que as novas rotinas começam a ser interiorizadas por ele), mas, ainda assim, o nosso balanço (enquanto pais), entre o cansaço e as horas de sono, nunca é positivo. Temos sempre a sensação que nunca dormimos o suficiente.  
O novo bairro é um grande aliado em dias como estes. Não precisamos fazer muitos planos para preencher os dias, não precisamos ir muito longo e nem tão pouco, precisamos de pegar no carro, para arranjar o que fazer com facilidade. E, assim foi, entre jogos de bola no parque infantil do Alvito, em Monsanto, um jantar temático entre amigos cheios de histórias para contar e um domingo com um brunch muito, muito tardio num dos sítios mais fantásticos de Lisboa, o Village Underground Lisboa, foi um fim-de-semana muito bom.









[o Dia Internacional da Mulher]

08.03.15 | Vera Dias Pinheiro
O Vicente entrou para a creche há mais ou menos duas semanas. Por opção nossa, decidimos que eu ficaria com o Vicente em casa e assim foi, desde que nasceu até há duas semanas atrás. Não houve um dia que não passasse com ele, não houve uma noite fora sem a presença dele. Foi ele e eu todos os dias, desde que nasceu. Como é natural, não me livrei de ouvir os mais variados comentários sobre o facto do Vicente estar em casa e supostamente estar privado do mesmo desenvolvimento que outros meninos que vão para a creche mais cedo ou que lhe fazia falta "disciplina" e rotinas (?!). Inevitavelmente que, muitas vezes, questionava-me se estaria a fazer um bom papel, se estaria, de facto, a corresponder a tudo o que ele precisava, em cada fase do seu crescimento. E, se dúvidas houvessem, por esta altura estariam todas dissipadas. Consegui passar todos os dias com o meu filho e ainda assim conseguir que ele seja um menino com regras e muito desenvolvido para a idade. Consegui ter um filho, criado em casa, que não tem problemas de socialização e para quem ainda pergunta, com um ar apreensivo, como foi a adaptação à creche, eu respondo: "foi óptima!"
Eu posso assegurar que difícil é ter um filho todos os dias connosco que à medida que cresce vai exigindo de nós cada vez mais atenção e responsabilidade. Porém, desde cedo, que existem rotinas na vida dele, desde cedo que começou a participar em actividades, desde cedo que esteve exposto aos mais variados estímulos.  E durante estes dois anos, ele teve contacto com muitas crianças e muitos adultos e, até mesmo, muitas crianças e adultos de diferentes nacionalidades (isto para quem acha que quando o Vicente não dá muita confiança no primeiro contacto, é porque não está habituado a "ver pessoas". Não, minha gente! isso é porque sai à mãe). 
E hoje que é o Dia Internacional da Mulher, em que se continua a reclamar a igualdade nos direitos, na minha opinião, essa igualdade e respeito deve começar entre nós mulheres, que somos as primeiras a criticarmo-nos umas às outras. É importante que haja mais solidariedade, que se respeitem as diferenças nas escolhas e nas opções de vida. Acima de tudo, aceitar que podem existir mulheres que fazem opções de vida (seja no âmbito profissional, da maternidade, etc...) diferentes das nossas e que isso não é necessariamente mau e nem está necessariamente errado (mas se estiver, também não nos compete a nós julgar). Afirmo, com tristeza, que muitas das criticas que ouvi serem todas elas provenientes de mulheres, de amigas... Pois hoje, que assinalamos o nosso dia (e que fazemos questão de o lembrar ao mundo), vamos lá deixar que a amizade e o respeito entre nós seja uma regra e não tanto uma excepção.


...

04.03.15 | Vera Dias Pinheiro
Sabem o que é?




Chama-se Bulgur e surge como alternativa ao tradicional arroz como acompanhamento dos nossos pratos. Mas então o que será melhor: o bulgur ou o arroz??!
Quando comparados, podemos logo dizer que o Bulgur tem menos calorias e mais fibras e minerais que o arroz. Para quem está a pensar na perda de peso, isto são logo boas noticias. Mas a fibra é muito importante para o nosso organismo (quer nos encontremos numa dieta de perda de peso ou não),  é ela que ajuda a cuidar da saúde do nosso intestino, como também nos ajuda a obter uma sensação de maior satisfação após uma refeição. 
Para além disso, este cereal é ainda rico em proteína (vegetal). Para quem pratica exercício físico este é um dado importante, mas também para quem está (ou quer) reduzir o consumo de carne no seu dia-à-dia. 
Até aqui são só boas noticias! Mas elas continuam. O facto dos seus grãos serem parcialmente cozidos aquando do seu fabrico, e depois secos aos sol, torna o momento da sua confecção bastante rápido e o seu sabor estaladiço e quase semelhante ao da amêndoa, torna qualquer refeição muito agradável.


Receita de Bulgur Simples (retirada do livro Cozinha Vegetariana da inspiradora Gabriela Oliveira):

Ingredientes: 
azeite q.b 
1 cháv. de bulgur
1 dente de alho
2 cháv. de água
1/2 caldo de legumes
1 folha de manjericão
sal marinho q.b

1. Numa caçarola com um fio de azeite, salteie o bulgur com o alho inteiro por 1 minuto, até dourar. Adicione a água, o caldo de legumes, o manjericão e o sal. Tape e deixe cozer durante 10 minutos ou até absorver completamente a água. Apague e deixe repousar, tapado, por 5 minutos.

2. Solte os grãos do bulgur com um garfo e retire o alho inteiro e a folha de manjericão. Sirva quente ou frio

Nota: Pode polvilhar com salsa ou coentros picados, regar com um fio de azeito e misturar frutos secos.



                                  
 Definição: "Triguilho, bulgur, ou ainda burghul é uma preparação feita com trigo. É muito usado na culinária sírio-libanesa e na cozinha mediterrânica, por exemplo, como ingrediente de quibe e tabule."

                                                                                                       

                                                                                                                              Bom apetite!!!

Pág. 1/2