Quando o sonho e a realidade se cruzam coisas incríveis podem acontecer! A Work&Shop é um desses exemplos, é um projecto de duas irmãs madeirenses, uma delas minha amiga (mas isso é apenas um detalhe).
Elas foram as vencedoras da 2ª edição do FN Kitchen Team Cup, ganharam um estágio no Hotel The Müller, em Bizen, na Alemanha. A partir daí têm-se dedicado à realização de workshops sobre os mais variados temas e todos eles com lotação esgotada. Por enquanto, só podemos contar com a Work&Shop na Madeira, mas como eu disse, só por enquanto…

Luísa: 27 anos
/ ex publicitária, agora cozinheira // Mafalda: 30 anos e
meio – Funcionária Pública na área da Comunicação e Assessoria de Imprensa
1. Como surge a ideia deste projecto Work&shop? E que surpresas podemos ainda esperar?

Luísa:
Inscrevi-me com a Mafalda num concurso de culinária que houve aqui na Madeira,
e conseguimos ir até à final e ganhar. Ganhamos um estágio na Alemanha, e a Work&Shop nasceu naturalmente depois de termos tido alguma exposição na
televisão. Confesso que o mais complicado foi arranjar um nome.
Mafalda: Como a Luísa referiu foi o
concurso que nos impulsionou para levarmos mais a sério esta nossa flama pela
culinária. A Work&Shop nasce desta nossa vontade de dar continuidade a esta
paixão. Quanto ao nome, para mim não foi difícil pois a Luísa é a “engenheira”
da nossa imagem.
Quanto às surpresas serão surpresas. Ainda estamos a encontrar o nosso
caminho. Andamos devagar mas com os pés bem assentes na terra. Estamos a
procurar o nosso espaço dentro dum universo muito competitivo e temos de nos posicionar
de forma diferente. Os workshops são neste momento o nosso ponto forte. Vamos
desenvolvendo as ideias e temos tido a sorte de arranjar bons parceiros que nos
levam a traçar projectos únicos e inovadores.
2. O gosto pela culinária é um “dom” que já vem de família?

Luísa: O
nosso pai sempre gostou de cozinhar, já a nossa mãe não. Não sei se é genético,
mas a verdade é que em casa toda a gente gosta de comer bem e, pelo menos, isso fez com que o meu interesse fosse um bocadinho além de só encher a
barriga, e começasse a fazer experiências mais elaboradas.
Mafalda: Soube muito recentemente
pelo meu pai que o nosso bisavô era cozinheiro. Não fazia ideia e se calhar vem
ao encontro da afirmação “é um “dom” que já vem de família”. A
verdade é que sempre gostei de cozinhar, desde pequena que tenho interesse em
experimentar e saber coisas novas. Consumo tudo o que é canal dedicado à
culinária. Antes disso comprava todos os livros “Segredos de Cozinha”.
3. Qual o vosso ingrediente preferido e qual o vosso prato preferido?
Luísa: Acho
que não tenho um ingrediente preferido, tenho vários. Na verdade a única coisa
que não gosto é de papaia e atum. De resto é tudo muito bem vindo. O meu prato
preferido depende da disposição, mas adoro sushi, comida indiana, tailandesa, e
espanhola, sou maluca por tapas.
Mafalda: É difícil nomear apenas um
ingrediente. Mas se for específica adoro coentros, malaguetas e leite de coco.
Dão sabor a tudo e na medida certa elevam um prato. Gosto muito de sushi, tártaros,
ceviches, comida crua para resumir. Adoro comida indiana, tailandesa e a
cozinha mediterrânea com ênfase na qualidade dos produtos tem um lugar de
destaque nas minhas preferências.
4. Quais as preocupações que têm com a alimentação?
Luísa: Na
verdade, como ainda não tenho filhos, não sou muito preocupada com a
alimentação. Tento comer bem, cada vez mais estou a introduzir ingredientes biológicos,
depois de ver o cowspiracy, deixei os laticínios (mas não consigo largar o
bife). Tenho uma alimentação equilibrada, mas sem radicalismos.
Mafalda: Eu tenho alguns cuidados pois a minha genética não é
a melhor. Todas as refeições têm sopa e desafio-me a criar pratos saudáveis
para as refeições em família. Compro produtos biológicos e regionais como
garantia de melhor qualidade do produto.
5. Alguma(s) dica(s) para saber fazer compras de qualidade no supermercado?

Luísa: Bem,
já me disseram que para comprar coisas totalmente saudáveis no supermercado, só
dá para comprar papel higiénico. Eu acho que o melhor é procurar produtores
locais, já há imensas quintas de produção biológica que fazem entregas em casa,
procurar comprar produtos da época e da região é sempre uma boa opção. 
Mafalda: Para mim, as melhores
compras de supermercado são as promoções de mercearias, nomeadamente, azeite e
especiarias (e fraldas). Quando os frescos estão em promoção é preciso ter
cuidado com a data de validade, pois normalmente só ficam mais baratos quando
faltam dois dias para se estragarem. As compras nas lojas de produtos biológicos
e mesmo regionais são a melhor opção. E sim são mais caros mas estes espaços
também fazem promoções. E se comprarmos aos poucos a sua rentabilização é
grande. Faço encomendas de cabazes biológicos que entregam em casa.
6. Querem partilhar alguma das vossas receitas com as Viagens dos Vs?
Luísa: Como
ando aqui a falar de ingredientes da época, nada como um bom abacate. Aqui na
madeira há imenso, e é uma fruta super saudável. Então aqui vai a receita do
meu guacamole.
Guacamole:



– Ingredientes:
3 peras abacate
grandes
1 tomate
1/2 cebola
1 limão
Sal
Flocos de
malagueta
1 ramo de salsa
ou coentros
– Preparação:
Tirar a pele ao
tomate (ou com agua a ferver, ou mesmo com um pelador) abrir em quartos e
retirar as sementes. Partir o tomate em cubos muito fininhos.
Partir a cebola
o mais pequeno que conseguirem e juntar ao tomate. Juntar as peras e esgamar
grosseiramente. 
Temperar com
sal e malagueta e regar com o sumo de 1 limão. 
No fim, picar a
salsa ou os coentros e juntar. 
Dica: se não
comerem logo, deixem um caroço dentro do guacamole, ajuda a não oxidar.

Mafalda:
Vou revelar-te um segredo que não sei se é bom ou mau. No outro dia fiz
esparguete à bolonhesa que é a comida preferida dos meus filhos. Só que não
tinha carne, eram só vegetais. A parte boa foi que adoraram e só me fizeram
elogios, a má é que têm um péssimo palato! Hehe

 Bolonhesa de Vegetais

– Ingredientes:

1 mão cheia
de bróculos
1 cebola
roxa
1 curgete
pequena
1
beterraba
orégão
frescos
1 cenoura
4 folhas
de acelgas
molho
inglês
sal
pimenta
nata de
soja
Preparação:
Tudo para
um robot de cozinha e triturar. Não é para ficar em puré mas sim tudo muito
miudinho. Numa  frigideira grande e anti-aderente
colocar um fio de azeite e refogar o preparado a gosto. Como os meus filhos iam
comer deixei pelo menos 20 minutos. Se fosse só para mim bastava aquecer
(lembram-se de que gosto de comida crua?)
Retificar
o sal, a pimenta, acrescentar o molho inglês e uns dois minutos antes do final
acrescentar um pacote de natas de soja.
À parte
cozinhar o esparguete seguindo as instruções da embalagem. Vai ser preciso àgua
e sal.
Para
finalizar dispor o esparguete no prato com a bolonhesa por cima. Para dar um
toque especial ralar um pouco de queijo parmesão.
Vocês podem ficar a saber tudo sobre a Work&Shop aqui. Não percam as suas dicas e receitas!

E, por fim, (mas não por último) um muito obrigada à Luísa e a Mafalda. Desejo-vos muito sucesso!

Comentários

comentários