Hoje saio de coração apertado, a contar os minutos para estar de volta a casa, enquanto isso não acontece, resta-me olhar para o telemóvel 10 674 vezes. 
O bendito curso de francês começa hoje! Logo hoje!!! O pai não está e o horário coincide com a altura em que o pequenino V. janta e vai dormir. Tive que chamar a babysitter. Mas hoje, logo hoje, vai ser também a primeira vez dela, nesse tipo de coisas, cá em casa.
Já pensei faltar à primeira aula a cada meio segundo, mas o senhor meu marido iria ter um ataque assim que soubesse! Na minha cabeça, já tentei imaginar todos os cenários possíveis: ou o Vicente não come e chora o tempo inteiro; ou come vidrado na galinha pintadinha; ou come, vidrado na galinha pintadinha, ao mesmo tempo que treina a sua arte de cuspir comida só porque quer embirrar! Depois, ou o Vicente não dorme e fica eletricamente descontrolado e vou dar com ele a fazer cambalhotas por cima da babysitter; ou dorme que nem um anjo e nem dá pela minha falta; ou chora desalmadamente, de pé agarrado às grades da cama, como se o mundo fosse acabar.
No meu caso, só tenho um cenário possível: vou estar de coração tão apertado, que nem vou conseguir falar quando pedirem para me apresentar! Ai que nervos!!!
Ser mãe é, entre tantas outras coisas, deixar que estes pequeninos seres controlem por absoluto os nossos sentimentos, os nossos comportamentos.

Comentários

comentários