Por aqui, começamos a fazer as malas. Na quarta-feira partimos numa nova aventura, em direcção a Lisboa. Digo aventura, porque decidimos que, desta vez, iríamos de carro. Falamos com a pediatra, na última consulta, que liberou o Vicente, desde que cumpridas as devidas paragens de 2h em 2h e o descanso ao fim do dia. Por este motivo, vão ser três dias de viagem.
Eu fiz o percurso inverso (Lisboa-Bruxelas), em dois dias, com o senhor meu marido. É, de facto, cansativo, mas também acaba por ser divertido. Vamos ver como corre agora com o pequeno Vicente. O roteiro da viagem está a ser preparado e assim que tiver pronto,  deixo-vos aqui, pois só vos vou conseguir falar da viagem assim que chegarmos a Lisboa.
Bem, mas, por agora, aproveitou-se o último fim-de-semana em Bruxelas. Para mim, com alguma nostalgia, pois esta última semana foi muito boa e não me apetecia partir já, ou então, ficar tanto tempo ausente (uma vez que, só iremos regressar no final de Agosto). Porém, as nossas famílias esperam-nos, os nossos amigos também e nós esperamos as férias, as primeiras férias em família.
No sábado, o tempo simpático levou-nos até ao centro, para um almoço tardio no Chez Léon, seguido de um crepe, na Maison des Crépes (todos locais dos quais já aqui falei). Tivemos a companhia de um amigo e com uma boa conversa nem demos pelo tempo passar.
No domingo, ficamos pelo bairro, aproveitando que algumas lojas estavam abertas, para dar uma vista de olhos nos saldos. A paragem para almoçar foi no Sablon, no Perroquete. Este restaurante é um daqueles locais de paragem obrigatória. A especialidade são as pitas, mas as saladas são igualmente boas. No entanto, não posso deixar de referir aqui que o atendimento hoje não primou pela qualidade, entre algumas trocas e enganos nos nossos pedidos, ainda tivemos direito a um empregado que acho por bem dar repostas indelicadas aos clientes. Não foi feliz, mas talvez estas situações aconteçam com alguma regularidade por não haver livro de reclamações. Todavia, devo referir aqui que, na minha opinião, não é uma situação/pessoa isolada que deve denegrir a imagem de um estabelecimento. Vamos continuar a dar o beneficio da dúvida… talvez o jovem estivesse apenas num dia mau!
A caminho da casa de uns amigos, ainda paramos para dar uma olhadela na festa portuguesa, que decorreu neste fim de semana, no Parc du Cinquantenaire. Cheirava a sardinhas e ouvia-se a música tipica destes eventos, não a vou classificar, mas vi no cartaz a cantora Ana Malhoa… 
Esta iniciativa, “Le meilleur du Portugal”, organizada pelo eurodeputado Nuno Melo, teve como objectivo promover o que de melhor se faz em Portugal, da cultura aos produtos alimentares. E pelo que percebemos teve uma grande adesão.

Comentários

comentários