Já aqui disse algumas vezes que, ao longo deste primeiro ano de maternidade, tudo são motivos para celebrações e, mais do que isso, todos os motivos para festejar, que já tínhamos (como aniversários, natal, páscoa, dia da mulher, da mãe, do pai, etc, etc…), são celebrados com muito mais entusiasmo. Desta vez, foi o aniversário do senhor meu marido!! “Tlinta e tlês” anos de vida!! Ieiiiii 🙂
E lá foram os Vs preparar-se para mais esse evento. 
Primeiro, foi deixar que o aniversariante dissesse como queria assinalar o dia. E a resposta foi: “com um pequeno lanche cá em casa”. Assim de repente, pensei: que óptimo! O Vicente está em casa, pode estar a sua vontade, sem estar confinado no ovo, que a cada dia que passa me faz mais confusão, ainda para mais com o calor que está. E também porque permite às pessoas falar muito mais umas com as outras. Desta forma, eu disponibilizei-me para tratar de tudo, desde o que se iria comer até à sua confecção (sim isso mesmo!!). 
Depois, foi deixá-lo fazer os convites e saber quantos seriam os convidados. Foi nesse momento que eu percebi a verdadeira dimensão do trabalho em que me tinha metido. Eu penso que mais de 40 pessoas nos passaram cá por casa. 
Ainda assim não desisti. Defeito ou não, o facto de ser MUITO organizada, nestes momentos, é aquilo que me vale. Entre fazer as sopas do Vicente, tratar dele, dar papas, cantorolar, mudar fraldas, adormecer quando ele finge que não tem sono, de um dia para o outro, tínhamos uma mesa “decetemente” composta, desde o bolo de aniversário, aos salgados e às frutas. Modéstia a parte, assim para quem viu ficou bonito e a avaliar pelo que sobrou também estava tudo bom.
Mas, acima de tudo, a pessoa em causa estava feliz. O senhor meu marido adora celebrar o aniversário, adora receber pessoas e penso que percebeu que, aqui por Bruxelas, tem umas quantas a quem pode chamar amigos e que fizeram questão de estar presente nesse dia.
Os Vs ficaram contentes, ainda que o Vicente tenha gostado mais de estar no quarto, do que a participar no convivio. Foi difícil aguentá-lo durante o lanche. Mas valeu tudo a pena, aliás, tudo vale a pena para vermos as pessoas que amamos de sorriso no rosto.
Entre uma e outra coisa, lá fomos conseguindo ir mimando o papá para que este primeiro aniversário, enquanto pai e também o primeiro passado em Bruxelas, fosse inesquecível e marcado por muita felicidade. 
Agora aqui entre nós, que foi uma trabalheira foi, mas pior pior, foi ter um montão de loiça para lavar e uma máquina de lavar avariada. Porém, quase no próprio dia conseguimos fazer desaparecer todos os vestigios da festa e da confusão e deixar a casa novamente na tranquilidade a que o Vicente está habituado.
Para o ano há mais!!!
E voilá: Happy B-Day

Os presentes e as surpresas

Comentários

comentários